2.º Domingo depois da Páscoa – 26 de abril

S. Lucas 24,13-35

Naquela hora de desespero, alguém se aproxima e começa a caminhar com eles.

“Que voz é esta?” Os dois conhecem aquela voz. Soa-lhes tão familiar! A Sua fala pelo caminho alivia-lhes a dor, derrete a saudade, afoga o desânimo.

“Fica connosco, pois já é tarde e a noite vem chegando!” O companheiro do caminho para Emaús não os abandonou. Entrou para ficar com eles.

Ficou o pão partido e uma taça de vinho partilhada. Ficaram as palavras que fizeram arder os corações. Ficou a inebriante alegria em que Ele transformou o desespero dos discípulos.

Agora, não é mais necessário ver Jesus com os olhos do corpo. Com a experiência que tiveram em Emaús, os caminhantes encarregar-se-ão de anunciá-lo e testemunhá-lo por todo o mundo.

Nos momentos difíceis, gritemos como os dois: “Fica connosco, pois já é tarde e a noite vem chegando!”

A missão nasce sempre de um encontro com Jesus vivo, com o Cristo pascal. Evangelizar, ser missionário, é irradiar “o que ouvimos, o que vimos com nossos olhos, o que contemplamos e o que nossas mãos apalparam do Verbo da vida porque a Vida manifestou-se.

Sejam quais forem nossas fraquezas e limitações, o que contagia todas as culturas e convence todos os povos e raças é o testemunho da alegria e da graça de termos encontrado o Senhor Ressuscitado.

José Manuel Santos, adaptado de https://homilia.cancaonova.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *